Seu portal de notícias do setor energético

Demanda global de petróleo deve desacelerar até 2028

Segundo IEA, crescimento anual da demanda diminuirá de 2,4 mb/d este ano para apenas 0,4 mb/d em 2028 (Reprodução)

O crescimento da demanda mundial por petróleo deve desacelerar significativamente nos próximos anos, baseado nos altos preços, e nas mudanças para tecnologias de energias mais limpas. A informação consta no novo relatório da Agência Internacional de Energia (IEA – sigla em inglês), divulgado nesta quarta-feira (14).

O documento prevê que, com base nas políticas governamentais atuais e nas tendências do mercado, a demanda global por petróleo aumentará 6% entre 2022 e 2028, atingindo 105,7 milhões de barris por dia (mb/d), apoiada pela demanda robusta dos setores petroquímico e aeronáutico.

Apesar desse aumento cumulativo, espera-se que o crescimento anual da demanda diminua de 2,4 mb/d este ano para apenas 0,4 mb/d em 2028.

Ainda segundo a IEA, o uso de petróleo para combustíveis de transporte deve entrar em declínio após 2026, à medida que ocorrerá a expansão de veículos elétricos e o crescimento de biocombustíveis.

“A mudança para uma economia de energia limpa está acelerando, com um pico na demanda global de petróleo à vista antes do final desta década, à medida que os veículos elétricos, a eficiência energética e outras tecnologias avançam”, disse o diretor executivo da IEA, Fatih Birol.

Alerta

De acordo com o executivo, devem estar atentos diante do processo de mudança no cenário.

“Os produtores de petróleo precisam prestar muita atenção ao ritmo crescente da mudança e calibrar suas decisões de investimento para garantir uma transição ordenada.”

Em outro ponto do relatório, a IEA lembra que os mercados globais de petróleo ainda estão se recalibrando lentamente após três anos turbulentos em que foram derrubados primeiro pela pandemia de Covid-19 e depois pela invasão russa da Ucrânia.

Segundo a agência, a crise global de energia desencadeada pela guerra na Ucrânia resultou em uma reorganização sem precedentes dos fluxos comerciais globais. Os mercados globais de petróleo podem se contrair significativamente nos próximos meses, à medida que os cortes de produção da aliança OPEP + moderam um aumento no fornecimento global de petróleo. No entanto, as tensões multifacetadas nos mercados parecem diminuir nos próximos anos, de acordo com o novo relatório.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar