Seu portal de notícias do setor energético

Energia solar ultrapassa 15% da matriz elétrica do Brasil

País encerrou 2023 com 37,4 gigawatts da fonte fotovoltaica solar e subiu duas posições no balanço global (Foto: reprodução)

Levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) aponta que a energia solar fotovoltaica já corresponde a mais de 15% da matriz elétrica brasileira. Na última semana, a fonte atingiu 34 GW de potência instalada no país. Os dados contabilizam usinas de grande porte (geração centralizada) e os sistemas de produção própria de energia instalados em residências e empresas (geração distribuída).

A fonte ocupa a segunda posição em termos de participação na matriz elétrica do Brasil, sendo superada apenas pelas hidrelétricas. Segundo a Absolar, desde 2012, a fonte solar já trouxe ao Brasil cerca de R$ 165,4 bilhões em novos investimentos, mais de R$ 46,9 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 1 milhão de empregos acumulados. Com isso, também evitou a emissão de 42,4 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Para o presidente do Conselho de Administração da Absolar, Ronaldo Koloszuk, o crescimento da energia solar, tanto das grandes usinas quanto dos sistemas distribuídos em telhados e pequenos terrenos, fortalece a sustentabilidade, alivia o orçamento das famílias e amplia a competitividade dos setores produtivos brasileiros.

“Finalmente, o Brasil acordou para a energia solar e seus benefícios. Aproveitar uma fonte de energia limpa e barata ajuda no processo de transição energética do país, além de estimular a diversificação do suprimento de eletricidade, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população”, disse Koloszuk.

Para Rodrigo Sauaia, CEO da Absolar, a fonte solar é uma alavanca para o desenvolvimento social, econômico e ambiental do país.

“O crescimento da fonte solar pode acelerar ainda mais a atração de investimentos, a geração de empregos e renda e a liderança internacional do Brasil na transição energética”, comentou Sauaia.

Geração distribuída e centralizada

No segmento de geração distribuída de energia, são 23,6 GW de potência instalada da fonte solar. Isso equivale a cerca de R$ 119,1 bilhões em investimentos, R$ 30,5 bilhões em arrecadação e mais de 709,3 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. A tecnologia solar é utilizada atualmente em 99,9% de todas as conexões de geração distribuída no país, liderando com folga o segmento.

O Brasil possui cerca de 10,4 GW de potência instalada em usinas solares de grande porte. Desde 2012, as grandes usinas solares já trouxeram ao País cerca de R$ 46,3 bilhões em novos investimentos e mais de 311,8 mil empregos acumulados, além de proporcionarem uma arrecadação aos cofres públicos que supera R$ 16,4 bilhões.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar