Seu portal de notícias do setor energético

Geração solar responderá por 70% da expansão em 2023

Percentual tem como base dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) consolidados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) (Reprodução)

A fonte solar fotovoltaica deverá dominar a expansão do mercado livre de energia nos próximos anos. Conforme dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) consolidados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a tecnologia deverá responder por 70% da oferta adicionada ao Ambiente de Contratação Livre (ACL) em 2023.

Esse cenário deverá se repetir entre 2024 e 2027, com os patamares de participação prevista da energia solar variando de 58% a 85%. Para efeito de comparação, a fonte eólica segunda em representatividade no mercado livre de energia do Brasil, terá participação máxima de 34% na expansão da oferta em 2025.

“A fonte solar é um veículo importante para o mercado livre de energia. Nós temos uma expectativa bastante ensolarada”, declarou o diretor técnico e regulatório da Absolar, Carlos Dornellas, durante evento promovido pela entidade na última quinta-feira (6), em São Paulo.

O ACL, mais conhecido como mercado livre de energia, é um ambiente que permite que consumidores negociem a contratação do fornecimento de eletricidade diretamente com geradores e comercializadores, obtendo condições mais vantajosas na comparação com o mercado cativo, onde o consumidor está obrigatoriamente atrelado a atuação da concessionária de distribuição.

A Absolar ainda projeta que a energia solar atingirá 18,9 GW de capacidade instalada na geração centralizada até 2026, somando R$ 90,2 bilhões em investimentos, gerando 570 mil empregos e 29,3 bilhões em arrecadação aos cofres públicos. O cenário ainda representaria mais de 45 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono (CO2) evitadas.

A geração centralizada é o segmento compostos por grandes usinas conectadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN), fornecendo eletricidade tanto para o mercado livre de energia quanto para o cativo. Atualmente, a fonte solar soma 9,63 GW operacionais nessa modalidade.

Para 2030, a projeção é de 46,3 GW de capacidade instalada de energia solar, totalizando R$ 220,4 bilhões em investimentos e 1,3 milhão de novos empregos, além da arrecadação de mais de R$ 71,7 bilhões e mais de 109.9 milhões de toneladas de CO2 evitadas.

Fila de transmissão

Dornellas destaca que um dos desafios para destravar esse potencial é “limpar” a fila de acesso de empreendimentos de geração solar ao sistema de transmissão. A capacidade de escoamento não tem acompanhado a expansão da geração renovável. Atualmente, o país conta com mais de 120 GW de capacidade outorgada de projetos fotovoltaicos.

“Nós defendemos que haja uma limpeza da fila e uma ocupação consciente da margem para a transmissão de energia, viabilizando o crescimento de energia solar no país. Nós precisamos da transmissão para levar essa energia ao consumidor”, disse Dornellas.

 

 

Fonte: Portal Solar

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar