Seu portal de notícias do setor energético

Lucro líquido da Petrobras chega a R$ 38,2 bi em 2023

Os dados constam no Relatório de Desempenho Financeiro do 1T23, divulgado nesta quinta-feira (11) (Reprodução)

A Petrobras alcançou lucro líquido de R$ 38,2 bilhões e o quarto maior EBITDA recorrente da sua história, de US$ 14,3 bilhões (R$74,5 bilhões) no primeiro trimestre de 2023. O nível de alavancagem da companhia segue saudável e a relação Endividamento Líquido / EBITDA ajustado foi de 0,58x, a melhor marca da companhia desde 2010. Os dados constam no Relatório de Desempenho Financeiro do 1T23, divulgado nesta quinta-feira (11).

Ainda de acordo com o relatório, a estatal também apresentou consistente geração de caixa no trimestre, com Fluxo de Caixa Operacional (FCO) na marca de R$ 53,8 bilhões.

O lucro líquido recorrente de R$ 37,7 bilhões foi menor do que o do 4T22 (R$ 42,9 bilhões), o que se justifica principalmente pela desvalorização do preço do petróleo (Brent). Em 31 de março, a dívida bruta alcançou US$ 53,3 bilhões, uma queda de 0,8% em comparação com o fim do ano passado, atingindo o menor nível desde 2010. A dívida líquida atingiu US$ 37,6 bilhões, uma queda de 9,5% em comparação com dezembro de 2022.

Retorno

No primeiro trimestre de 2023, a companhia pagou R$ 8 bilhões em dividendos para União referente à segunda parcela dos dividendos aprovados no terceiro trimestre de 2022.

Também acaba de aprovar um novo valor de remuneração ao acionista referente aos resultados do 1T23 em função do baixo nível do endividamento bruto, a elevada geração de caixa e a sólida liquidez, no montante de R$ 1,89 por ação ordinária e preferencial, de acordo com sua política de remuneração aos acionistas, sendo 36,61% para o Grupo de Controle. Portanto, do total aprovado, R$ 9 bilhões serão destinados à União, acionista majoritário da companhia.

Durante o 1 º Trimestre de 2023, foram feitos investimentos significativos que somam US$ 2,5 bilhões.  No segmento de Exploração e Produção, os investimentos totalizaram US$ 2 bilhões, 49% acima do 1T22, devido ao desenvolvimento dos grandes projetos que sustentarão a curva de produção de petróleo e gás dos próximos anos, em especial pela construção e integração de novas unidades de produção, além da ampliação dos investimentos na revitalização de Marlim.

No segmento de Refino, Transporte e Comercialização, os investimentos totalizaram US$ 340 milhões com destaque para paradas programadas de refinarias, investimentos em malha logística e unidade de utilidades do GASLUB. No segmento Gás e Energia, os investimentos totalizaram US$ 33 milhões no período, com destaque para unidades de processamento de gás natural.

Soma-se aos dividendos e aos investimentos, o pagamento de R$ 62,6 bilhões em tributos para União e entes estaduais e municipais.

“Os resultados nestes 100 dias iniciais da nossa gestão nos deixam extremamente otimistas em relação ao futuro. Vamos seguir construindo uma Petrobras sólida, competitiva e sustentável, sintonizada com as demandas da sociedade, erguendo novas pontes e alavancando novos investimentos para o país”, destaca o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar