Seu portal de notícias do setor energético

Lucro líquido da PetroReconcavo cai 50% no 1º trimestre

Balanço aponta ainda aumento na receita líquida, de R$ 703,476 milhões no 1T22 para R$ 719,212 milhões no 1T23 (Foto: Divulgação)

A PetroReconcavo divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2023 (1T23). Os números apresentam lucro líquido de R$ 199,513 milhões no período. O resultado representa queda de 50% na comparação com igual período do ano anterior (1T22).

Ainda de acordo com a petroleira, a receita líquida subiu 2% e passou de R$ 703,476 milhões no primeiro trimestre de 2022 para R$ 719,212 milhões nos três primeiros meses de 2023.

Já o Ebitda, sigla em inglês para o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações caiu 19% na base de comparação anual, a R$ 334,836 milhões, com margem Ebitda em queda de 12,4 pontos percentuais (p.p.), a 46,6%. Já o Ebitda ajustado pelo hedge foi a R$ 406,304 milhões, também uma queda anual de 19%, enquanto a margem Ebitda ajustada pelo hedge teve baixa de 12 p.p., para 51,4%.

“Os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2023 refletem uma combinação de dois vetores principais: de um lado, seguimos na trajetória de aumento da nossa produção, com um crescimento de 6% versus o 4T22 e de 25% versus 1T22; de outro lado, uma piora nos preços das commodities, impactando negativamente as receitas da companhia, com o Petróleo tipo Brent apresentando um preço médio de US$81 por barril, queda de 8% comparado ao trimestre anterior”, aponta a companhia no release de resultados.

A companhia ressalta ainda que verificou aumento nos custos operacionais e despesas associados ao closing da aquisição da SPE Tiêta. Também destaca custos extraordinários em decorrência da interdição do Polo Bahia Terra, falhas em infraestruturas de escoamento e processamento de gás de terceiros e despesas pré-operacionais relacionadas à mobilização de novos equipamentos.

Produção

Já o crescimento de 6% na produção média diária comparado ao trimestre anterior, explica-se, em parte, pela incorporação da SPE Tiêta, em março, e também pelo crescimento orgânico da produção do Ativo Bahia, em particular no gás natural nos campos de Polo Miranga, aponta.

O custo médio de produção do 1T23 foi de US$ 12,92, alta de 6% versus o trimestre anterior. O montante investido em perfuração, workovers e facilidades no primeiro trimestre de 2023 somou R$ 187 milhões.

Dívida

Os dados divulgados pela PetroReconcavo apontam ainda dívida líquida de R$ 711,2 milhões ao fim do trimestre, ante uma dívida líquida negativa de R$ 37,3 milhões ao fim do trimestre anterior.

A relação dívida líquida sobre Ebitda dos últimos doze meses foi para 0,47 vez, uma baixa de 0,65 vez ante o fechamento do 1T22, quando estava em uma relação de 1,12 vez.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar