Seu portal de notícias do setor energético

Ministro defende recompra de refinarias pela Petrobras

No Rio Grande do Norte, a Petrobras já negocia a recompra da Refinaria Potiguar Clara Camarão junto à 3R Petroleum (Foto: Reprodução)

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, defendeu nesta quarta-feira (27) que a Petrobras recompre as refinarias que privatizou. A fala foi proferida em cerimônia para assinatura dos contratos do último leilão de transmissão, em Brasília. Segundo ele, a recompra dos ativos, associada à modernização das atuais refinarias deve ser considerada como forma de garantir a autossuficiência de derivados do petróleo no Brasil.

Alexandre Silveira afirmou que mantém o diálogo com a estatal sobre a possibilidade da recompra, de modo que ocorra “dentro das regras do mercado”. O ministro esteve reunido nesta semana com o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates. Na pauta, ainda de acordo com o ministro, segurança do suprimento de diesel e necessidade de ampliação da capacidade de refino no país.

“Nós estamos trabalhando várias frentes para isso. Uma é reforçar o interesse nosso de política pública, de que a Petrobras seja rápida na modernização dos seus parques de refino e que avalie a possibilidade, inclusive, já é pública a minha opinião, de que a Petrobras deve negociar com aquelas refinarias que foram privatizadas para que dentro de regras de mercado, porque nós queremos respeitar a segurança jurídica, a estabilidade regulatória, ela possa readquirir essas refinarias a fim de fazer o Brasil um país seguro na questão do suprimento e de melhores preços de álcool, de gás de cozinha e de óleo diesel para o consumidor brasileiro, fazendo o Brasil competitivo”, disse.

Clara Camarão no radar

Na verdade, a ideia defendida pelo ministro já está em andamento. No Rio Grande do Norte, a Petrobras negocia a recompra da Refinaria Potiguar Clara Camarão junto à 3R Petroleum, que adquiriu o ativo em 7 de junho deste ano. A refinaria faz parte da venda do Polo Potiguar, que também inclui 22 campos de exploração e produção de óleo e gás. A negociação foi confirmada pelo presidente da estatal.

Na última quinta-feira (21), a 3R Petroleum anunciou, por meio de nota, paralisação nas atividades da refinaria. Alegou que realizará manutenção preventiva no local durante o quarto trimestre de 2023. O prazo previsto é de 90 dias.

Além da Refinaria Potiguar Clara Camarão também foram vendidas pela Petrobras a Refinaria Landulpho Alves (RLAM – Mataripe), na Bahia, para o fundo Mubadala; a Reman, em Manaus (AM), para o grupo Atem; a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná, para a F&M Resources; e a Lubnor, para a Grepar.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar