Seu portal de notícias do setor energético

Produção de petróleo e gás bate novo recorde em julho

Dados, divulgados nesta quarta-feira (30), pela ANP, apontam que Pré-sal responde por 74,9% de toda a produção brasileira (Reprodução)

A produção de petróleo e gás natural no Brasil bateu novo recorde no mês de julho. Dados do Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, divulgado nesta quarta-feira (30), pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Energia (ANP), apontam que foram produzidos 4,482 milhões de barris de óleo equivalente por dia (MMboe/d). Foi a maior produção total já registrada, superando o recorde de junho de 2023, com 4,324 milhões de MMboe/d.

Com relação ao petróleo, foram 3,513 milhões de barris por dia (MMbbl/d), um aumento de 4,3% na comparação com o mês anterior e de 18,6% em relação a julho de 2022. A maior produção registrada anteriormente foi a de junho de 2023: 3,367 MMbbl/d.

Ainda de acordo com o boletim da ANP, a produção de gás natural em julho foi de 154,076 milhões de metros cúbicos por dia (MMm³/d), um acréscimo de 1,2 % em relação a junho de 2023 e de 13,6% na comparação com julho de 2022. Também foi o maior volume até hoje, superando o de junho de 2023: 152,258 milhões de metros cúbicos por dia (MMm³/d).

Pé-sal

Chama a atenção a produção total (petróleo + gás natural) na área do pré-sal. Em julho, foram 3,359 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), o que corresponde a 74,9% de toda a produção brasileira.

Essa foi a maior marca registrada, superando a de fevereiro de 2023, quando foram extraídos 3,268 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d). Houve aumento de 3,5% em relação ao mês anterior e de 16,6% na comparação com o mesmo mês de 2022. Foram produzidos 2,638 milhões de barris diários (bbl/d) de petróleo e 114,8 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) de gás natural por meio de 142 poços.

Em julho, o aproveitamento de gás natural foi de 97,2%. Foram disponibilizados ao mercado 55,41 milhões de m³/d e a queima foi de 4,27 milhões de m³/d. Houve queda na queima de 6,7% em relação ao mês anterior e de 5,0% na comparação com julho de 2022.

Origem da produção

Em julho, os campos marítimos produziram 97,6% do petróleo e 85,8% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras, sozinha ou em consórcio com outras empresas, foram responsáveis por 88,47% do total produzido. A produção teve origem em 6.424 poços, sendo 515 marítimos e 5.909 terrestres.

Campos e instalações

No mês de julho, o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás, registrando 865,71 mil bbl/d de petróleo e 41,63 milhões de m³/d de gás natural. A instalação com maior produção de petróleo e gás natural foi a FPSO Guanabara na jazida compartilhada de Mero, com 176,186 mil bbl/d de petróleo e 11,25 milhões de m³/d de gás.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar