Seu portal de notícias do setor energético

Produção de petróleo no Brasil cresceu 4% em 2022

Mais cedo, delegado da Organização disse à agência que o Brasil deveria se juntar ao grupo a partir de janeiro (Reprodução)

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) publicou hoje (30) as informações consolidadas da evolução do setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis no Brasil em 2022. Os dados apontam que a produção nacional de petróleo cresceu 4% em 2022 e atingiu 3 milhões de barris/dia. Deste total, 76% correspondem à produção na área do pré-sal, que alcançou a média de 2,3 milhões de barris/dia no ano.

Ainda de acordo com a agência, as reservas totais de petróleo apresentaram em 2022 um incremento de 10,6% em relação a 2021, chegando a 26,91 bilhões de barris. Já as reservas provadas de petróleo somaram 14,9 bilhões de barris, um aumento de 11,5%. Já as exportações de petróleo alcançaram o volume de 1,3 milhão de barris/dia no mesmo ano, enquanto as importações do produto alcançaram 275 mil barris/dia, um crescimento de 68,3%.

No ano de 2022 foram promovidas pela ANP dois ciclos da Oferta Permanente de Blocos e Áreas para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural: o 3º Ciclo da Oferta Permanente de Concessão (OPC); e o 1º Ciclo da Oferta Permanente de Partilha da Produção (OPP).

Gás natural

Já com relação ao gás natural, em 2022 as reservas totais cresceram 4,5%, alcançando 587,9 bilhões de metros cúbicos (m3). As reservas provadas de gás atingiram 406,5 bilhões de m3, crescimento de 6,6% em relação ao ano anterior. A produção de gás natural teve acréscimo de 3,1%, 13º ano consecutivo de aumento, e atingiu 137,9 milhões de m3/dia. No pré-sal, a produção de gás natural também segue aumentando sua participação no total nacional e correspondeu a 71,6% em 2022.

No setor de biocombustíveis, a produção de biodiesel, em 2022, foi 7,6% inferior ao ano anterior. É importante destacar que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) reduziu o percentual de biodiesel no óleo diesel, de 12% para 10%, a partir de novembro de 2021, e que perdurou durante todo ano de 2022. Já a produção de etanol foi 2,5% superior ao ano anterior, atingindo a marca histórica de 30,7 bilhões de litros. O etanol hidratado apresentou menor competitividade dos preços em relação à gasolina C, o que resultou, em 2022, na queda de 7,5% nas vendas deste combustível.

Derivados

A produção nacional de derivados de petróleo cresceu 6,7% em 2022 e atingiu 2,1 milhões de barris/dia, em torno de 84% da capacidade instalada de refino. Já as vendas de derivados pelas distribuidoras registraram crescimento de 3,9%, com destaque para as vendas de querosene de aviação, que cresceram 35,9%.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar