Seu portal de notícias do setor energético

Produção nacional de petróleo cai 2,7% em março

Dados divulgados pela ANP apontam que foram extraídos 3,356 milhões de barris de petróleo por dia (Foto: Reprodução)

O Brasil registrou, em março, queda de 2,7% na produção de petróleo em relação ao mês de fevereiro. É o que informa o Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural de março de 2024, que traz os dados consolidados da produção nacional. O documento, divulgado na última quinta-feira (2), pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), aponta que foram extraídos 3,356 milhões de barris por dia (bbl/d). Na comparação com o mesmo período do ano passado houve alta de 7,7%.

Segundo o boletim, a produção total, que inclui petróleo e gás natural foi de 4,262 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d).

A produção de gás natural em março foi de 143,98 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). Houve queda de 3,1% frente a fevereiro de 2024 e elevação de 3,9% na comparação com março de 2023.

Pré-sal

No mesmo período, ainda de acordo com a ANP, no pré-sal, a produção total (petróleo + gás natural), em março, foi de 3,349 milhões de boe/d e correspondeu a 78,6% da produção brasileira.

O número representa um aumento de 0,4% em relação ao mês anterior e de 11,4% na comparação com o mesmo mês de 2023. Foram produzidos 2,622 milhões de bbl/d de petróleo e 115,67 milhões de m³/d de gás natural por meio de 150 poços.

Aproveitamento do gás natural

Em fevereiro, o aproveitamento de gás natural foi de 96,1%. Foram disponibilizados ao mercado 39,29 milhões de m³/d e a queima foi de 5,62 milhões de m³/d. Houve aumento de 6,3%, na queima, em relação ao mês anterior, e de 56,1% na comparação com março de 2023. O incremento na queima se deu devido à continuidade do comissionamento da FPSO Sepetiba, no Campo de Mero, sendo inerente ao processo de comissionamento de unidades.

Origem da produção

Ainda de acordo com os dados consolidados do boletim, no mês, os campos marítimos produziram 97,6% do petróleo e 87% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras, sozinha ou em consórcio com outras empresas, foram responsáveis por 89% do total produzido. A produção teve origem em 6.518 poços, sendo 527 marítimos e 5.991 terrestres.

Campos e instalações

No mês de março, o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás, registrando 787,70 mil bbl/d de petróleo e 39,16 milhões de m³/d de gás natural. A instalação com maior produção de petróleo e gás natural foi a FPSO Guanabara, na jazida compartilhada de Mero, com 170.275 bbl/d de petróleo e 11,73 milhões de m³/d de gás.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar