Seu portal de notícias do setor energético

RN é líder na geração de energia pelo 2º mês consecutivo

O percentual é referente aos 8 GW produzidos pelo estado, marca alcançada neste mês de agosto( Foto: Sandra Monteiro)

Por Sandra Monteiro

 

O Rio Grande do Norte é, pelo segundo mês seguido, o maior gerador de energia elétrica dentro da expansão energética no país. De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta quinta-feira (10), dos 525,5 megawatts (MW) acrescidos à capacidade instalada do Brasil no mês de julho, o estado gerou 122 MW. Em junho, o RN respondeu pelo aumento de 239,4 MW dos 538,1 MW acrescidos à matriz energética brasileira no período.

Segundo a Aneel, contribuiu para o resultado do estado a instalação de sete unidades geradoras de energia eólica em terras potiguares. Em todo o Brasil, ainda segundo o órgão regulador, a fonte eólica responde por mais de 80% da capacidade ampliada no mês. Do total de 525,5 megawatts (MW) acrescidos à capacidade instalada do país no mês passado, 421,2 MW vieram de 18 novas usinas eólicas.

Também começaram a operar no mesmo período duas unidades solares fotovoltaicas (93,6 MW), duas termelétricas (10,0 MW) e duas pequenas centrais hidrelétricas (0,7 MW).

O Rio Grande do Norte também se destaca no acumulado ao longo dos primeiros sete meses de 2023. Nesse período, o estado registrou acréscimo de 1.160,3 MW e ocupa a terceira posição no ranking dos maiores geradores do país. Fica atrás apenas da Bahia (1.684,7 MW) e de Minas Gerais (1.315,7 MW), primeiro e segundo colocados, respectivamente.

Panorama nacional

A matriz elétrica brasileira alcançou este ano, até o final de julho, uma ampliação de 5.673,9 MW. A Aneel registrou a entrada em operação comercial de 176 usinas, sendo 79 eólicas (2.713,8 MW) e 61 solares fotovoltaicas (2.295,1 MW). Plantas solares e eólicas representam, juntas, 88,3% da capacidade instalada no ano.

Também foram instaladas 25 termelétricas (531,4 MW), oito pequenas centrais hidrelétricas (122,2 MW) e três centrais geradoras hidrelétricas (11,4 MW). As usinas com operação iniciada este ano estão localizadas em 18 estados de todas as regiões brasileiras.

Avaliação

Para o diretor-geral da ANEEL, Sandoval Feitosa, a ampliação da matriz elétrica brasileira em julho reflete o bom momento da geração de energia no país, em especial aquela decorrente de fontes renováveis.

“O resultado de julho dá continuidade à expansão acelerada que estamos verificando em 2023. Estamos em um bom caminho rumo aos 10,3 gigawatts previstos pela equipe de fiscalização da Agência para este ano”, avaliou o diretor-geral.

O Brasil somou 194.387,49 MW de potência fiscalizada, de acordo com dados do Sistema de Informações de Geração da Aneel (Siga), atualizado diariamente com dados de usinas em operação e de empreendimentos outorgados em fase de construção. Desse total em operação, ainda de acordo com o Siga, 83,69% das usinas são consideradas renováveis.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar