Seu portal de notícias do setor energético

Projeto que cria política estadual de H2V vai à Alece

Documento foi assinado pelo governador Helmano de Freitas, nesta segunda-feira (7) (Foto: Caros Gibaja)

O governador do Ceará, Helmano de Freitas, assinou nesta segunda-feira (7), o Projeto de Lei que institui a Política Estadual do Hidrogênio Verde e cria o Conselho Estadual de Governança e Desenvolvimento da Produção de Hidrogênio Verde. O documento foi enviado à Assembleia Legislativa do Estado para apreciação e votação.

Segundo o chefe do Executivo estadual cearense, o Ceará dá mais um passo histórico para nova fase do Hidrogênio Verde.

“Nós estamos enviando para Assembleia um Projeto de Lei com várias iniciativas, desde a garantir prioridade, de celeridade, a facilitar que o mercado de Hidrogênio Verde se expanda no Ceará, no que diz respeito ao consumo e setores econômicos que deverão receber estímulos. Também a governança por meio de um Conselho, formado por parte do Estado, sociedade civil e setores que vamos convidar. A partir de hoje, entramos em uma nova fase. Nós tínhamos até aqui 31 Memorandos. Agora, vamos buscar estabelecer prazos para que os investimentos aconteçam”, destacou Elmano de Freitas.

Até o momento, 31 Memorandos de Entendimento e três pré-contratos já foram assinados entre o Ceará e as empresas interessadas em instalar no Complexo do Pecém, mais especificamente na Zona de Processamento e Exportação, plantas para a produção e distribuição de Hidrogênio Verde.

Aceleração do Hub de H2V

Antes da assinatura, o governador e o CEO Global da Fortescue Future Industries (FFI), Mark Hutchinson dialogaram sobre as expectativas e esforços para acelerar conjuntamente a produção e exportação de Hidrogênio Verde (H2V) no Ceará e no Brasil. A Fortescue foi a primeira multinacional a assinar pré-contrato, no valor de 6 bilhões de dólares, para desenvolvimento de planta na Hub de H2V no Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante.

Mark Hutchinson, CEO da FFI, afirmou que o grupo está empenhado para responder a urgente demanda mundial por energias renováveis.

“Somos a única empresa tocando 25 projetos [de energias renováveis] pelo mundo. Desses 25, cinco queremos acelerar bastante. O Brasil é um deles, sendo fundamental em nossos planos. O Brasil, diferente dos outros países mencionados, vai ter uma enorme vantagem por conta do preço barato da energia elétrica. Tenho total confiança que o Estado do Ceará é o parceiro ideal. Já temos essa demanda na Coreia [do Sul], Japão, Cingapura. Toda a indústria global passa a se reinventar em torno do Hidrogênio”, apontou.

O CEO analisou ainda a necessidade de ampliação da infraestrutura de transmissão de energia e da fabricação de eletrolisadores no estado. Sobre isso, Elmano de Freitas citou investimentos em parceria com o Governo Federal e o Banco Mundial para diversas áreas.

“Significa investimentos para a garantia de transmissão de energia. Hoje, temos uma negociação com o Governo Federal para que os leilões possam acontecer”, destacou o governador.

O senador Cid Gomes, que preside a Comissão Especial do Hidrogênio Verde no Senado Federal, falou sobre os esforços para regulamentar a produção do H2V no Brasil.

“É importante que a nossa legislação nacional esteja sintonizada à legislação internacional, notadamente a europeia. É importante que o esforço no Parlamento esteja sintonizado ao esforço do Executivo, porque é uma questão que afeta a vários Ministérios. E a complexidade de já termos um Plano Nacional de Hidrogênio Verde. O Senado Federal e o Brasil estão devendo ao Ceará uma regulação dessa questão do Hidrogênio Verde”, enfatizou.

Câmara

compartilhe

A publicidade é a vida do negócio
Aumente suas possibilidades
Se eu tivesse um único dólar